Nesta quarta feira (22/05) foi realizada a segunda reunião da Comissão de combate às enchentes. 

Como Presidente, inicialmente fiz um balanço dos documentos encaminhados a diversos órgãos, pela Comissão. Depois, foram ouvidas as sugestões e reivindicações dos moradores de bairros atingidos pelas enchentes. Após, e em comum acordo com os moradores presentes, a Comissão definiu a realização de reuniões itinerantes, a cada 45 dias, para balanço da situação e das providências tomadas pelo Poder Público.

Foi informado pela Assessora Especial do Prefeito, Flávia Silva Pinto, que de que três ou quatro dragas voltarão aos serviços de desassoreamento no rio Atibaia até o final de junho.

Ao final, a Comissão se comprometeu a encaminhar ao senhor Prefeito todas as reivindicações feitas pelos moradores. 

O que foi feito até agora:

Desde que foi criada, em fevereiro deste ano, a Comissão das Enchentes enviou cinco ofícios, solicitando informações da Prefeitura sobre convênio com a Cetesb (autorizando o município a expedir licenças ambientais a empreendimentos de exclusivo impacto local), as condições operacionais da Defesa Civil e a regularização da Vila Mira; da Cetesb e do DAEE, sobre o aterro no bairro do Guaxinduva.

Em indicações enviadas à Prefeitura, foram pedidos serviços de limpeza na rua José Pires de Camargo (Terceiro Centenário) e rua João Evangelista Chamadoira (Jardim Kanimar, onde também havia pedra impedindo o escoamento de águas pluviais); encaminhado anteprojeto sobre o Fundo Municipal para Calamidade Pública; e fiscalização de área que recebe clandestinamente restos de construção.

A Comissão enviou ainda requerimentos à Prefeitura sobre as dragas para o serviço de desassoreamento; aterros na avenida Jerônimo de Camargo e Guaxinduva; desassoreamento do córrego Folha Larga; campo do Ribeirão; obras de drenagem na rua Olegário Cunha Lobo; movimentação de terra na rua da Imprensa (Terceiro Centenário) e sobre obra próxima a um posto de gasolina na Jerônimo de Camargo.

Paulo Catta Preta