A Gripe Influenza/H1N1 voltou a ser assunto recorrente em todo o Brasil. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, este ano o surto da doença ocorreu dois meses antes do previsto e já provocou óbitos pelo país, a maioria no Estado de São Paulo.

Em Atibaia, houve confirmação de apenas um caso, sendo o mesmo diagnosticado e tratado em hospital de São Paulo – indícios de que a doença tenha sido contraída na Capital.

“Embora seja provável que a doença tenha sido contraída na cidade de São Paulo, como informado pela própria paciente, o vírus H1N1 vem circulando no Brasil e no Estado de São Paulo desde os últimos meses de 2015. A vigilância à Influenza segue constante e em todo o país”, ressalta a gerente da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.

Conforme as notícias são divulgadas, aumenta a preocupação da população e dos profissionais de saúde em todo o território nacional e, por isso, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, vem a público prestar alguns esclarecimentos importantes sobre o assunto.

A Gripe Influenza/H1N1 é causada por um vírus que acomete as vias respiratórias, podendo também afetar outros órgãos além do aparelho respiratório. “Os casos se tornam graves pela insuficiência respiratória e, em geral, os óbitos podem ocorrer por infecção secundária a bactérias e complicações em outros sistemas, como cardíaco, renal, entre outros”, esclarece a gerente.

Embora a Gripe Influenza/H1N1 ocorra no Brasil durante todo o ano, nas estações de outono (atual) e inverno (próxima) há aumento no número de casos, o que leva à realização da campanha nacional de vacinação justamente durante essas estações. Em 2016, a campanha tem início previsto para este mês de abril e, a exemplo dos anos anteriores, será novamente destinada aos grupos prioritários definidos pelo Governo Federal – Ministério da Saúde.

Sintomas e tratamentos

A vigilância da Gripe Influenza/H1N1 é feita sobre os casos internados com suspeita de apresentarem sinais e sintomas da doença, com dificuldade respiratória. Nessa circunstância é coletada secreção respiratória para tentativa de detecção do vírus – exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

A suspeita de Gripe Influenza/H1N1 se baseia em dois conjuntos de sintomas e sinais, que são chamados de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave. No entanto, é importante lembrar que diferentes agentes infecciosos podem causar essas síndromes.

Nos casos de Síndrome Gripal, o tratamento é recomendado apenas para os pacientes que pertencem aos grupos de risco. Já nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, tão logo possível deve-se administrar o medicamento específico disponibilizado pelo Ministério da Saúde – Oseltamivir (Tamiflu), que é fornecido somente sob prescrição médica – preferencialmente nos primeiros três dias do início dos sintomas.

Campanha de vacinação

Desde 1999 são realizadas anualmente as campanhas nacionais de vacinação, tendo sempre como foco os grupos considerados de maior risco. “Ainda há muitas pessoas que se recusam a receber a vacina ou desconhecem as informações disponibilizadas pelas autoridades, mas a vacinação é recomendada mundialmente e é absolutamente imprescindível para as pessoas pertencentes aos grupos prioritários, uma vez que elas são mais suscetíveis à doença e a desfechos desfavoráveis”, salienta a secretária de Saúde. “A imunidade dura cerca de um ano e, com a possibilidade de circularem novos subtipos de vírus, torna-se necessário revacinar anualmente as populações de maior risco”, complementa.

Cuidados básicos para prevenção da doença

Além da prevenção por meio da vacinação, também são necessários cuidados gerais de higiene para evitar que o vírus se espalhe. Algumas medidas simples podem diminuir expressivamente as chances de contágio da doença:

– Higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel frequentemente, em especial depois de tossir ou espirrar;

– Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies utilizadas por diversas pessoas, como corrimãos, bancos, maçanetas, etc;

– Evitar proteger a tosse e o espirro com as mãos. Utilize, preferencialmente, lenço de papel descartável;

– Crianças de 6 meses a dois anos, pessoas com mais de 60 anos, gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias depois do parto) e portadores de doenças crônicas debilitantes (câncer, HIV/Aids, entre outras), ao apresentarem os sintomas de gripe devem procurar assistência médica imediata;

– Evitar frequentar ou permanecer em lugares fechados, pouco ventilados e com aglomerações de público, principalmente se já estiver com sintomas de gripe;

– Manter hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física regular também são excelentes formas de prevenir a gripe;

– Ao surgirem sintomas de gripe procure um médico.

gripe_ilustra

Fonte: http://atibaianovo.com.br/gripe-influenzah1n1-esclarecimentos-importantes-sobre-a-doenca/